8.10.09

Para (re)pensar...

Os começos são um tempo fascinante. Parece óbvio dizer que em cada início se escondem oportunidades de recuperar tempos perdidos e espaços descuidados. No fundo, o início é marcado por novos caminhos mas, ao mesmo tempo, é um regresso a coisas antigas. Fazemos o mesmo que normalmente fazíamos, mas encontramos uma energia que nos desperta para o compromisso.

O desafio para este mês inicial do ano académico ou de trabalho é precisamente preencher o nosso espaço de coisas importantes. Para isso, são necessárias duas atitudes: a de saber o que verdadeiramente interessa e a de querer fazer descer a vida à nossa profundidade.A vida é uma teia de acontecimentos e desejos, que nos movem cada dia para paisagens inesperadas.

Contudo, é muito importante termos claro aquilo que não podemos deixar para trás, os nossos tempos e lugares de paragem e sabor. Cada um encontrará aquilo que significa este tempo ou este espaço: oração, tempo para conversas mais pessoais, dedicação a alguém em particular, ler, escrever, etc. Se lhe dedicarmos tempo e espaço cada dia, acabamos por voltar ao entusiasmo, encontramo-nos numa espécie de repetição rítmica dos nossos desejos profundos.

A segunda atitude de fundo é aquela de podermos descer à nossa profundidade e tomarmos o pulso dos acontecimentos. É muito saudável termos tempo e espaço para saborear o que acontece, ajuda-nos a falar em primeira pessoa nos acontecimentos de cada dia, sem nos deixarmos arrastar pela pressa, pelo stress, ou pela velocidade do que vai acontecendo. Assim, em momentos de solidão e silêncio, deixamos falar aquilo que é mais importante: a qualidade interior do que somos e do que fazemos.

No início do meu ano, que aspectos são essenciais na vida do dia-a-dia? Onde é que antes perdi o meu tempo, para que hoje o possa encontrar? Sinto necessidade do silêncio dedicado à profundidade do meu dia? Sou capaz de ter este tempo?

In: www.essejota.net (um site a visitar)

4 comentários:

mestre poeta disse...

"É tudo tão fugaz e tão breve"

No final do semestre que podia ter corrido muito melhor diziamos sempre que no proximo nao iamos faltar a aulas e que iamos levar os apontamento certinhos...

No final de um namoro diziamos sempre que não cometeriamos os mesmos erros...

Num jantar com a malta toda afirmamos a plenos pulmões que vamo-nos encontrar mais vezes e marcar férias juntos e tudo...

Em casa estamos sempre a dizer aos pais que vamos passar mais tempo de qualidade em família...

Quando passamos um dia de puro descanso dizemos que "é mesmo diso que preciso mais vezes"...

É tão fácil falar... muito mais dificil agir... agir em conformidade com aquilo que acreditamos que está correcto mas que a própria vida nos obriga a desmentir...

Dá que pensar...

É muito importante que acabemos aqui e ali por concretizar algumas destas vontades, para que não deixemos de acredita em nós próprios e também para que a nossa qualidade de vida melhore.

Beijinho grande

giragirassol disse...

Olá amiga, agora "sulista", já vi que gostaste do site...sugestão boa, não foi? gosto imenso, da qualidade gráfica à profundidade e criatividade dos conteúdos. Vai dando notícias.

Martinha disse...

É, de facto, uma reflexão interessante esta que fazemos a respeito da nossa postura perante a vida em cada início de ano académico ou de trabalho.

O começar significa isso mesmo, retomar, iniciar e levar por diante aquilo que realmente interessa na nossa vida e que poderá ter ficado adormecido nestes meses de paragem.

Que tenhas bom começo de ano de trabalho, Sónia! :)

Beijinho *

Ondina disse...

Este ano, para ti, COMEÇO tem um sabor especial.

Fico à espera das novidades da capital...

Bjinho
Ondina