2.5.11

(Par)AR...




A alegria de conversas de jovens continuam a fascinar-me e, se o meu sorriso, muitas vezes interior, pode dar uma mãozinha a adolescências difíceis... porque dizer não?


E este foi o verbo... Parar! Era preciso, sim, mas escusava de ser tão trágico com direito a dores, gelo, pomadas e ligaduras...


O descanso do fim de semana resolveu quase por completo o mal que se colou a mim! E a alegria de um domingo nasceu do bem, num sol tímido que por entre nuvens queria aparecer... na tv os cânticos de louvor ao mais novo beato da Igreja Católica, João Paulo II.


Ele que se torna modelo e exemplo para todos também gostava e cativava os jovens... Ouvi uma frase num destes dias, acerca do bom humor deste Papa...


«Quem ama não consegue deixar de ter bom humor...» ouvi com os ouvidos e gravei com o coração... é mesmo verdade! E ele amou de verdade! Outro amor que se sente, e se sente de verdade, é o amor de tantas mães... e o domingo também foi dia de todas as mães... E da minha também! :)

E apesar do ar frio que o fim de tarde de domingo trouxe... O caminho torna-se quente...

1 comentário:

cathy disse...

e quão importante é parar, meia-volta, ao sabor do silêncio do momento, mas preenchido pelo esplendor das emoções mais bonitas, e todas criadas por Deus.