29.4.10

Estas provocações...

...deixam-me beliscada!

“Acorda, menina linda, anda brincar,
Que o sol está lá fora à espera para te ouvir cantar;
Acorda, menina linda,
Vem oferecer o teu sorriso ao dia que acabou de nascer…
(…)salta da cama…anda viver, meu Amor”

Não sei que sublime tentação o comodismo constitui. Não sei que vontade súbita (ou crónica) de ficar, de fechar, de olhar para dentro. Ou até de fechar os olhos, e permanecer enroscada no conforto de uma espécie de ninho.
Não sei bem o porquê de apetecer ficar de braços cruzados, o porquê de uma letargia quente, envolvente, que vicia.
Não sei que absurdo fascínio virá da condição de couch potato, da facilidade ridícula de viver através das histórias dos outros – dos livros, dos filmes, dos relatos… Viver de sonhos, daquilo que não é; viver dos sonhos renovadamente adiados.
No fundo, saber o que se tem dentro, saber o tanto que se pode ser e fazer. Mas deixar tudo o que germina ao sabor do adiar constante, ao sabor dos vários disfarces - sob os quais está e estará sempre a eternamente infundada justificação de deixar para amanhã, para mais tarde, para quando tiver tempo.

Como poderei acordar? Como poderei deixar de adiar, deixar de me desculpar, deixar de ser apenas uma pequenina parte de tudo aquilo que poderia ser?

Tanto por fazer, em todos os lugares, em todos os tempos. Tanto. E tanto que poderia fazer.
E como é tão mais fácil deixar o tempo passar, deixar-me emocionar com quem vive, quem faz, quem age. Com a alegria de quem (se) dá incondicionalmente. Com quem luta por fazer a diferença.
Como é tão mais simples renovar justificações para não fazer mais do que abrir a janela. E como parece tão legítimo o esforço por tornar as justificações credíveis aos olhos dos outros. Como aquilo que parece pode ser tão diferente da falta de coragem que vai por dentro.

Como ganhar coragem de ser autêntico? Como deixar o conformismo de tantas justificações para passar realmente a ser?

Levantar da cama e abrir as cortinas: do quarto e do coração.

Ana Rita Neves Lima, in essejota.net

2 comentários:

Joao Rocha disse...

acho que esta foto esta incompleta... parece que o outro lado da cama foi ocultado de proposito? ou nao!!!!! minha querida estas provocaçoes sao para imaginar o teu sorriso lindo quando as estiveres a ler
bjs

mestre_poeta disse...

Bem... é engraçado quando lemos as palavras e nos sentimos tão próximos. Conheço muito bem a Rita (Neves Lima) e quando comecei a ler este texto no teu blog procurei logo o final para ver de quem era, porque era-me de todo familiar a forma de escrever. Muito boa escolha. Acompanha a autora porque ela é mesmo assim como escreve.

Beijinho