23.4.08

(Bem) na minha mão

Hoje, depois de algum tempo sem olhar para este blog e sem vontade de aqui deixar umas linhas, deixo-vos ficar esta letra da Susana Félix que, de alguma forma, me tem acompanhado e espelha esta fase da minha vida!


Abro os olhos e adormeço
Sem a mente fraquejar
Saio pela manhã
De passagem, coisa vã
Derrapagem
Que a viagem tem princípio, meio e fim

Enquanto vergo, não parto
Enquanto choro, não seco
Enquanto vivo, não corro
À procura do que é certo

Não me venham buzinar
Vou tão bem na minha mão
Então vou para lá
Ver o que dá
Pé atrás na engrenagem
Altruísta até mais não

Enquanto vergo, não parto
Enquanto choro, não seco
Enquanto vivo, não corro
À procura do que é certo

Presa por um fio
Na vertigem do vazio
Que escorrega entre os dedos
Preso em duas mãos
Que o futuro é mais
O presente coerente na razão
Frases feitas são reféns da pulsação

3 comentários:

Felipe Nunes disse...

"Enquanto choro, não seco"


Que dizer mais, minha querida?

beijo!
Auf Wiedersehen,
f n

Martinha disse...

Tenho que procurar essa música. Não a conheço, e a letra é interessante! :)

Beijo Sónia *

PretenderJorge disse...

Olá linda...

Sabes é muito assim como ela canta essas palavras soltas que formam frases fortes.

Os momentos não são de alegrias e sorrisos sempre e são de durezas dificeis e capacidades banais que teimam em permanecer...

Vou só deixar-te uma passagem da musica...

"Presa por um fio...Na vertigem do vazio!
Que escorrega entre os dedos
Preso em duas mãos..."

Com alguma diferença nas pontuações pois tem o meu sentido agora e define muito cada pontuação que damos nas frases o nosso estado espírito.

Beijos e até breve, temos que falar.